FAQ

Espero que estas FAQs respondam às suas perguntas. Mas, se não responderem, por favor, consulte o nosso glossário especialmente criado de termos de antivírus.

1. Um antivírus deixará meu sistema mais lento?

O software requer certa quantidade de poder de processamento para realizar suas funções, portanto, todos os programas de antivírus consumirão mais RAM e recursos da CPU. As preocupações com antivírus causando lentidão significativa são originárias da ideia de que os computadores modernos sofrem com as mesmas limitações dos modelos antigos e significativamente menos poderosos. Frequentemente, comparamos o uso de RAM e CPU durante nosso processo de testes, e descobrimos que até mesmo os escaneamentos mais detalhados consomem quantidades desprezíveis de ambos os recursos. De fato, ainda não avaliamos nenhuma solução que tenha causado um impacto significativo sobre o desempenho.

2. Quais são as principais ameaças contra as quais devo me proteger?

Infelizmente, as ameaças atuais de cibersegurança são provenientes tanto do mundo digital quanto do mundo físico. Na verdade, um novo vetor de ataque parece ser descoberto a cada ano. Ainda é possível condensar essas ameaças em grandes categorias, no entanto – e sugerimos que você escolha uma solução de antivírus que ofereça proteção contra o máximo possível dessas ameaças.

As ameaças mais significativas aos usuários neste momento são:

  • Vírus de macro: consistem em vírus comuns baseados em arquivos que infecionam arquivos de dados. Praticamente todos os antivírus protegem contra eles. Caso ainda faça uso de e-mails no seu computador desktop, esteja ciente de que anexos carregados com vírus são um importante vetor de ataques. Escolha um provedor que inclua escaneamento de anexos, como o Norton.
  • Vírus do setor de inicialização: esses vírus sofisticados infectam o firmware que administra a sequência de inicialização do computador — normalmente, a MBR/BIOS ou a infraestrutura mais moderna UEFI/EFI. Procure por menções de “escaneamento de boot” ou “escaneamento de MBR” em nossas avaliações para se certificar de que o produto oferece esse componente importante.
  • Malware: esta é uma ampla categoria de programas maliciosos escritos para infectar e prejudicar o sistema anfitrião. O malware pode incluir vírus, trojans, worms, adware e spyware.
  • Ransomware:tipo de malware avançado que está ganhando importância, o ransomware tenta extorquir os usuários a pagar uma quantia em dinheiro para reaver o controle sobre seu sistema operacional/arquivos privados. O pagamento aos cibercriminosos costuma ser efetuado por meio de uma criptomoeda não rastreável, como o Bitcoin.
  • Rootkit: outro tipo de malware, os rootkits são projetados para fornecer acesso de privilégio elevado contínuo ao computador anfitrião. Além disso, eles costumam ser capazes de se esconder de serviços comuns de listagem de programas – portanto, exigem um programa especial para que sejam identificados e colocados em quarentena.

Além disso, há keyloggers operados remotamente, exploits de engenharia social (como ataques man-in-the-middle) e golpes simples de phishing — porém, as ameaças acima são os principais tipos aos usuários de computadores na atualidade.

3. Um antivírus é suficiente? De que outros tipos de proteção posso precisar?

Respondemos a essa questão com um retumbante “não”. Devido à lista parcial de ameaças de cibersegurança que indicamos acima, está claro que usuários modernos precisam de programas sofisticados de cibersegurança que ofereçam proteção em vários níveis.

Em particular, recomendamos:

  • Um programa que contenha um componente de antivírus robusto. Selecione um programa que tenha sido testado e certificado por um laboratório independente de testes de vírus. Embora tenhamos avaliado muitos provedores menos famosos que oferecem excelente proteção, é difícil errar com nomes familiares como Norton e AVG - ambos os quais frequentemente obtêm ótimas pontuações nesses testes.
  • Um produto que contenha recursos de segurança na internet. Estes costumam incluir ferramentas como navegadores seguros, que impedem o acesso a URLs de phishing conhecidas; VPNs, para criptografar o tráfego ao navegar a partir de pontos de conexão não seguros; e removedores de arquivos que garantem que os diretórios excluídos realmente sejam removidos do sistema de arquivos.
  • Alguma ferramenta de gerenciamento de firewall. O Windows possui uma ferramenta integrada para isso, mas é recomendável obter proteção adicional — como filtragem de firewall bidirecional.

De fato, quanto maior for o nível de proteção da sua solução escolhida, melhor. Além disso, recomendamos que você escolha uma solução que inclua bloqueador de keylogger, gerenciador de senhas, proteção para webcam/microfone e filtros de controle parental.

4. Realmente existe alguma diferença entre os provedores? Os antivírus não são basicamente a mesma coisa?

Não. Há diferenças significativas entre os produtos no mercado (motivo pelo qual nossa equipe gosta tanto de avaliá-los!).

Por exemplo:

  • Plataformas suportadas: muitos antivírus protegem uma quantidade específica de dispositivos com uma única licença. Se esse for o caso, você deve garantir que todas as suas plataformas utilizadas possuam suporte. Você encontrou um antivírus com um ótimo app de Android, mas ele também oferece um programa que funcione no iPad do seu filho?
  • Recursos: alguns produtos oferecem um excelente scanner de vírus, mas muito pouco além disso, enquanto outros fornecem um recurso multifacetado com diversas ferramentas de segurança na internet.
  • Mercado-alvo e casos de uso: alguns produtos são especificamente segmentados para o mercado corporativo e projetados para ser administrados centralmente por uma equipe de TI. Outros são voltados para famílias e disponibilizam ofertas com preços competitivos para residências com muitos dispositivos. Alguns deles até mesmo são especificamente projetados para proteger dispositivos com internet das coisas (IdC).

5. Posso usar vários antivírus?

Embora um segundo antivírus possa ser instalado sobre um programa atual sem causar erro de sistema em alguns casos, na maioria deles, isso não acontecerá: um dos programas solicitará para que você desinstale o outro. Executar dois antivírus simultaneamente cria uma sobreposição de recursos do sistema e pode fazer com que um dos programas erroneamente identifique o processo de escaneamento, as áreas de quarentena e outros componentes do outro programa como sendo ameaças.
A exceção a essa regra seria dois programas executando dois produtos de cibersegurança que examinem diferentes tipos de ameaças (por exemplo, um deles examinaria vírus, e o outro buscaria apenas por rootkits).
Esse é outro motivo pelo qual recomendamos que você escolha um único produto que ofereça proteção contra o máximo de componentes possível.

6. Acabei de instalar o Ubuntu, uma variedade do Linux. Há opções de antivírus para esse sistema operacional?

Welcome to the exciting world of Linux! The old days of fumbling around a terminal trying to configure a varredura do ClamAV ficaram para trás, felizmente. Atualmente, os usuários do Linux têm uma variedade razoável de antivírus para escolher (embora, devemos notar, as opções ainda sejam muito mais limitadas que aquelas para Windows e MacOS), e o Ubuntu normalmente é o sistema operacional Linux com maior suporte no mercado.

Recomendamos que você consulte nosso guia com sete antivírus totalmente grátis para Linux – os quais incluem alguns grandes nomes, como Comodo e Sophos. Se você realmente gosta da linha de comando, o ClamAV é uma boa ferramenta para começar – além disso, muitas ferramentas pagas para clientes e empresas oferecem suporte para variantes do Linux.

7. Os vírus ainda são uma ameaça significativa?

Sim. Embora seja razoável afirmar que os vírus são uma ameaça menor do que costumavam ser, isso se deve à segurança dos sistemas operacionais e aos enormes avanços nas capacidades de detecção de ameaças dos programas de antivírus.
Particularmente, as ferramentas baseadas em aprendizado de máquina, incluindo algoritmos de detecção heurísticos e baseados em comportamento, tornaram possível para esses programas identificar e proteger contra ameaças que ainda não foram formalmente identificadas (conhecido como ataques de “dia zero”). Além disso, tanto a sofisticação quanto a quantidade de vetores de ataque enfrentados pelos usuários cresceram nos últimos anos, chegando a incluir vírus de firmware que têm como alvo até mesmo sistemas avançados. Atualmente, isso inclui computadores não operados por humanos (como dispositivos de IdC – internet das coisas) que podem ser explorados como pontos de entrada para redes locais.
Por esse motivo, recomendamos que todo computador – mobile ou desktop – execute alguma forma de proteção.

8. Quem cria vírus?

Os vírus de computador podem ser obra de muitos atores, variando desde hackers individuais até governos (o melhor exemplo disso é o worm Stuxnet, cujo alvo era uma instalação nuclear iraniana). As motivações incluem desde ganhos financeiros até ativismo político e muito mais.

9. Posso sobreviver sem um antivírus?

Apesar do que você talvez tenha ouvido falar, todos os principais sistemas operacionais – incluindo Linux e Android (que consiste em uma ramificação do Linux otimizada para dispositivos móveis) – são suscetíveis a vírus. E, embora o Windows inclua uma ferramenta embutida para realizar varreduras básicas e gerenciamento de firewall, os usuários devem instalar uma solução dedicada.

A maioria dos antivírus consiste em programas multifacetados que oferecem proteção contra uma ampla variedade de ameaças de cibersegurança e incluem automações inteligentes integradas (como a ativação de uma VPN quando um site bancário online é acessado), as quais são projetadas para manter os usuários seguros. Alguns navegadores incluem proteção integrada contra phishing, porém, na maioria dos casos, ela não se compara com os programas disponibilizados por profissionais.

Use um antivírus – trata-se de um pequeno investimento em sua privacidade e na saúde do seu computador.

10. Preciso fornecer programas de antivírus para todo o meu escritório com mais de 100 funcionários. É necessário comprar licenças individualmente?

Os antivírus corporativos são especialmente projetados para gerenciar implantações em larga escala, e geralmente contam com recursos de administração, como gerenciadores de atualização baseados em script e ferramentas de provisionamento em massa. Muitas excelentes ferramentas de software atendem especificamente a essa necessidade.

Para mais informações, fique à vontade para entrar em contato conosco.